sábado, janeiro 05, 2008

Mary Fahl – From The Dark Side Of The Moon (2007)

image hosted by ImageVenue.com

O povo começou 2008 com uma tremenda preguiça na hora de fazer comentários, mas, pelo relatório de downloads, o post do October Project está fazendo sucesso. Assim, na mesma linha, coloco aqui uma preciosidade que achei no ótimo blog Série Echoes (o link já está na lista de recomendados).

Depois de dois discos solo (um EP e um CD completo) abaixo de sua capacidade, a vocalista Mary Fahl, na minha opinião, a alma do OP, estava mais perdida que pum em bombacha. A única coisa que tinha como certa é que queria um repertório mais forte, que trouxesse paixão e grandiosidade. Seu empresário, Steven Saporta, entrou em contato com o produtor David Warner com a idéia de fazer um disco de covers, mas Warner teve uma idéia mais ousada: reinterpretar um único disco clássico, do começo ao fim.

O projeto, desafiador por si só, ganhou um peso ainda maior quando Warner e Fahl escolheram o disco a ser recriado, nada menos que The Dark Side Of The Moon, a obra máxima do Pink Floyd, que passou nada menos que 14 anos consecutivos na lista de 200 discos mais vendidos da Billboard e é o quinto disco mais vendido de todos os tempos. A princípio, Mary assustou-se com a ambição do produtor: "Ele (o disco) é como o Cálice Sagrado. Uma obra de arte danada de boa, muito mais que o produto de uma época", declarou.

Os medos iniciais desapareceram com a entrada em cena do guitarrista e tecladista Mark Doyle. Assim como o produtor e a cantora, ele sentia uma certa desilusão com os caminhos atuais da música pop e uma profunda admiração pelo disco do Floyd. Para "ver o que rolava", os três entraram no estúdio particular de Doyle para gravar "Us And Them". Mary Fahl se sentiu tão à vontade que todas as dúvidas foram embora. O projeto começara.

Para nortear o trabalho, o trio baseou-se em respeito e experimentação. Respeito pela forma original das canções e experimentação na hora de recriá-las sem cair no esquema de banda tributo. A primeira ousadia veio numa dúvida: como uma vocalista vai regravar um disco 40% instrumental? A resposta de Doyle foi simples: transformar a voz de Mary num instrumento, sem precisar necessariamente de uma letra – aliás, o que o próprio Floyd fez com Clare Torry em "The Great Gig In The Sky". Esta, para não ficar uma cópia carbono (e também porque o alcance da voz de Torry era quase impressionante), foi recriada como um lamento xamânico. Outra que mudou muito foi "Money", que ficou mais dançável. O resultado nesse caso é discutível, mas, para sem bem polêmico, sempre achei "Money" a música mais chata (melhor dizendo, a única música chata) do disco original.

Disco gravado, aconteceu alguma coisa com o projeto que ele simplesmente não chegou ao público. Seja qual for o motivo, esse tesouro só existe em downloads. O site oficial de Mary (http://www.maryfahl.com) não faz qualquer menção a ele. Uma pena.

Ah, como o disco não saiu oficialmente, a capa lá em cima é fake, misturando o prisma do disco original com a foto do álbum solo de Mary Fahl.

1. Speak To Me
2. Breathe
3. On The Run
4. Time / Breathe
5. The Great Gig In The Sky
6. Money
7. Us And Them
8. Any Colour You Like
9. Brain Damage
10. Eclipse

Download

30 comentários:

Anônimo disse...

Fantástico, Mr. Dagda.. essa mulher é maravilhosa, mesmo, assim como esse álbum e o próprio October Project..
Um pedido - uma banda chamada Liquid Jesus ( qualquer coisa) - apesar de eles terem 2 ou 3 albums só. Raridade
grande []
Loyola

McKagan disse...

saudações! sou português e sigo o blog do senhor Dagda há cerca de 1 ano e já descobri coisas extraordinariamente interessantes...um blog ecléctico e adorei os posts de Luar Ma Lubre (fantástica banda que não conhecia) e do primeiro album de Journey. tenho um pedido: será que dava para postar algum album de uma banda chamada 4 Non Blondes? Só conheço uma musica mas devo dizer que a voz da vocalista é na minha opinião muito boa...

Um abraço daqui de Portugal e continue o seu trabalho EXCELENTE com o blog! cultive-nos musicalmente :)

Dagda disse...

Olá McKagan
Saudações de um orgulhoso descendente de portugueses. Infelizmente não tenho nada de 4NB, mas vou catar.
Abraços
D

Helton disse...

Olha, achei o CD médio...tem coisas muito boas e outras que não gostei mesmo...
Mas por ser uma regravação do dark side, está muito bom...ele é muito bom e fica complicado as vezes de ouvir de uma maneira diferente daquela que nos acostumamos...

Mas o 1º do october não parei de ouvir desde que baixei...espetacular...

Abraço,

JF disse...

Fiquei muito feliz com sua visita na SérieEchoes;
Seu Blog elucida de forma maravilhosa o cenário informativo da boa música..Gostei muito e vou visitá-lo sempre e indicá-lo.Parabens!
Vamos entrar sempre contato se possível e agradeço pela força...
Seu link está na SérieEchoes.
Saudações Progrock:
JF

Acorde Final disse...

Peço permissão para divukgar o novo blog em substituição ao Acorde Final: o MASTERPIECE

http://adeodato.blogspot.com

Vicente Adeodato

death disse...

hola!! muy buen blog

visita el mio!!!

http://thedarksidemusic.blogspot.com/

COPIANDO O LINK disse...

ótimo post. estamos add o blog no item "onde buscamos os link" em nosso site. um abraço e vamos comapratilhar...

Finch disse...

Porra cara muito bom,
Eu vi tu falando desse blog lah no metalWar

Massa esse blog ^^
Curti, vou baixar uns negocios daqui para upar no mw ^^

Abraços

Nana disse...

Oi, Dagda

Você conhece a banda Utopia? Pode postar alguma coisa?

Valeu!

Anônimo disse...

Pelamordedeus, de onde saiu isso? Sou fãzaço da guria, mal posso esperar para ouvir esse disco!

Um abraço!

Ronaldo - João Pessoa-pb disse...

Alguém pode informar onde posso conseguir os cds anteriores dela??

Anônimo disse...

O blog continua bem legal, ainda mais agora com senso de humor... "lamento xamanico" ficou bem engraçado, só espero nunca ter q ouvir essa merda branca tentando cantar algo q a Clare Torry cantou. Essa Mary não tem senso do q é apropriado...humm... acho q ela se daria bem no BBB da Globo.

João Gabriel disse...

To baixando...
Fiquei muito curioso.
Parabéns pelo excelente blog!

Abraço

john doe disse...

mais uma jogada...mais uma vadia...
"grave o prisma e viva feliz...e rica!!"

Anônimo disse...

Não baixei e nem vou baixar.
Dark Side é uma obra-prima e como tal ninguém deveria meter a mão.
Celso

Marguerite disse...

E agora? Fundamentalismo Floydiano ou curiosidade abissal?
Quase sinto como se estivesse fazendo algo errado por dar uma chance à uma coisa dessas. Mas eu não quero cuspir antes de morder =P

Dagda disse...

Margerite, tô contigo.
Ouvir e não gostar é um direito de legítimo de qualquer pessoa - até porque arte toca cada um de uma forma. Não ouvir e não gostar é só estupidez mesmo...

Anônimo disse...

Não misturemos, para efeito de nos entendermos quando trocamos idéias, partes diferentes daquilo que nos faz sermos humanos: Marguerite, voce nao faz "algo errado" quando da uma chance a um disco como esse; nem mesmo quando acaba até gostando dele. Simplesmente porque mau-gosto não é falha de caráter. Por isso se alguém ouve,por ex, new age,daqueles mais água com açúcar, e auto-enganadoramente o faz achando que é por que aprecia arte (e talvez aquilo nem seja arte) mas esse new age cumpre a funçao de aliviar o stress da vida, do trabalho, da família, eu não vou criticar isso de modo algum.

Anônimo disse...

Continuando: E Marguerite, quanto a "cuspir antes de morder", também digo ao dagda quanto a nao gostar sem ouvir ser estupidez... meus caros, sabemos que não é bem assim. Eu sei, pelo menos. Somam-se comentarios lidos a respeito do disco, a capa (tô ciente de que "nao se julga um livro pela capa") e até a carinha jovem e bonita dela (depois da MTV o que resta pra quem tem telento mas é feio? Suicídio?) , a triste época de covers vazios de sentimento em que vivemos, aliás gravar cover já é por si só coisa dos menos talentosos - lugar de cover é, quando muito, um bar, e nao um cd (mas eu entendo, hoje em dia há músicos demais e eles também tem que botar comida na mesa), soma-se ainda ter ouvido outro trabalho dela, e ainda que não tivesse ouvido, saber qual é o estilo e que atualmente ela não é a única insossa a impostar a voz dessa forma,etc,etc,etc...
EM TEMPO: dagda, não me leve a mal, não critiquei a você, ao ato de postar esse disco. Ao contrário sou muito grato por outras coisas que você posta, seu blog é dos melhores que ja vi, e se voce ficar chateado comigo, desisto de tentar me expressar em português.

Gilberto disse...

Ouvi, gostei e recomendo. A cantora mostra extrema competência e ousadia nas interpretações no trabalho originado pelos Mestres do rock Progressivo, Pink Floyd.
Tenho colocado este som, como parte da Trilha Sonora, na reunião do nosso grupo espiritualista, 02 vezes por mês, bebendo Ayahuaska(Bebida Indígena Psicoativa que expande a consciência)
Gilberto Nunes de Souza
Garanhuns-Pernambuco
Brasil

Gilberto disse...

Ouvi, gostei e recomendo. A cantora mostra extrema competência e ousadia nas interpretações no trabalho originado pelos Mestres do rock Progressivo, Pink Floyd.
Tenho colocado este som, como parte da Trilha Sonora, na reunião do nosso grupo espiritualista, 02 vezes por mês, bebendo Ayahuaska(Bebida Indígena Psicoativa que expande a consciência)
Gilberto Nunes de Souza
Garanhuns-Pernambuco
Brasil

Maychel Santos disse...

Estou baixando. Mas, como um fã do Floyd, com um medo insano do que vou encontrar pela frente.

Anônimo disse...

Gilberto: apóia os teus. Tem gente boa fazendo música boa e apropriada para estas cerimônias e que não só respeitam elas como alguns inclusive tomam a Ayahuaska e são brasileiros.
Maychel: horrível não será pq a composição é do Pink Floyd. Mas pq não ouvir o original? Nosso instinto nos trai; ela é jovem e desejável e a gente não pensa direito por causa disso, acaba clicando nela... Dica: baixe apenas a foto dela, se masturbe se for o caso (eu poderia apostar q vc não tem nem 20 anos) mas quanto à música baixe outra coisa. Esse blog tem coisas boas.

ZuzoBem Gara disse...

Ainda não baixei...
Confesso que também estou apreeensivo.
Tomara que não me arrependa.
Agora, que a vadiazinha merece uma "homenagem", isso merece. E olha que eu tenho bem mais de 20 anos.
(depois de baixar eu comento de verdade)

Zuzobem Gara disse...

Tô ouvindo...
Ah, deixa a menina em paz. Ela fez sua viagem pessoal no disco.
E em cima de qual disco! Quisera eu expressar meus sentimentos ao ouvir o original, que jeito que ela expressou.
Além do mais, ela é tão gostosinha, que a gente perdoa tudo, né?
Recomendação: Ouça o disco se masturbando com a foto.
Avaliação em estrelas: CLASSE F - BRANCA
Temperatura: 6.000 - 7.500°K
Composição: Hidrogênio e metais ionizados, cálcio e ferro.
Exemplo: Procyon A (F5V-IV)

Anônimo disse...

Hello my Braz friend!

Great AWESOME upload!!!

thanx a lot,

greetings from Hollanda, Piet

Anônimo disse...

Very nice upload, thanks. I really like this version of DSotM - she has a great voice and to hear the songs sung by female vocals is very good.
I am searching for interesting versions of DSotM like (I have these ones below already):

Dub Side of the Moon,
Jazz Side of the Moon, Dream Theatre - Live DSotM, Various Artists Return to Dark Side, also the amazing Voices on the Dark Side of the Moon. The last one is most of the intruments replaced by the human voice - very interesting - if a bit strange.

Anyway thanks for the great blog. Greetings from London UK.
StuArt

Clastres disse...

PO Dagda! Agora vc vacilou!!! Money chata? Que isso?!?!?! Essa música tem um dos instrumentais mais interessantes que eu já ouvi! O solo do Gilmor tem um timbre velho e muito característico, mas daqueles tão marcantes, que até hj dá vontade de fazer igual, de acertar aqueles agudos meio saturados que arranham o timbre!!!
Bom, mas o disco é bom mesmo!!!

Bizzorro disse...

Não estou conseguindo fazer o download deste álbum. O Rapidshare está dando que está bloqueado. Tem como postar novamente? Obrigado.