quarta-feira, abril 23, 2008

Queen – At The BBC (1995)

image hosted by ImageVenue.com

Isso aqui é uma autêntica jóia. Gravações do Queen feitas em fevereiro e dezembro de 1973, sendo que as primeiras aconteceram antes mesmo do lançamento do disco de estréia da banda, que só sairia em julho daquele ano. Tirando “Ogre Battle” (aqui em versão bem embrionária), todas as músicas saíram no disco Queen e mostram um grau de talento e profissionalismo que marcou desde o primeiro momento a trajetória da banda.

Pena que John Deacon inventou de compor...

1. My Fairy King
2. Keep Yourself Alive
3. Doing All Right
4. Liar
5. Ogre Battle
6. Great King Rat
7. Modern Times Rock 'n' Roll
8. Son and Daughter

Download

9 comentários:

potatocla disse...

Grande post Dagda...o Queen é mesmo uma das maiores bandas de todos os tempos. Só não entendi o comentário sobre John Deacon. O cara compôs "You're my best friend", "You and I", "Spread your wings", "Need your love tonight", "Another one bites the dust" (uma das mais famosas linhas de baixo da história da música), "I want to break free", "Friends will be friends"...todas clássicas! Ele compôs pouco, mas mostrou sua genialidade. Sem falar de sua técnica em perfeita harmonia com dois gênios (May e Mercury). Tenho dito! Grande abraço!

Vitroncio disse...

Grande álbum! Reitero as palavras do comment acima. Um abraço!

Dagda disse...

Pois é, galera. A idéia foi criar uma polêmica mesmo e levantar uma questão que muito me encafifa há anos. Em princípio, eu não gosto de música pop - e John Deacon era um compositor pop como poucos. Todas as músicas citadas foram grandes sucessos comerciais, renderam milhões ao Queen, mas (estritamente na minha opinião tá?) pavimentaram também o caminho da decadência da banda. Bem-feitinhas, bem acabadinhas, bem previsíveis, bem inofensivas ao ouvinte de rádio mediano, que estranharia a ousadia de "Bohemian Rapsody", a agressividade de "White Man" ou a melancolia extrema de "All Dead". Só que o público pop é cruel, especialmente a partir do fim dos anos 70. Se você faz uma concessão agora, ele exige outra e mais outra e mais outra. E mesmo assim te troca pela primeira nova moda.
Se não, vejamos. Quando alguém fala em "A Night At The Opera", quem lembra primeiro de "You're My Best Friend"? Vale o mesmo para "A Day At The Races", "News Of The World" e até "Jazz". O primeiro disco do Queen puxado por uma música de Deacon é exatamente o primeiro disco explicitamente pop deles, "The Game". Daí em diante é o contrário, discos cada vez mais fracos dos quais sobra uma ou outra música notável (geralmente de Brian May).

Como eu disse, é uma opinião e ninguém precisa compartilhar, mas não é por acaso que os discos mais ousados e criativos do Queen são os que têm pouca ou nenhuma participação de Deacon como compositor. Até porque, se atingir o grande público fosse sinônimo de qualidade musical, Amado Batista e Xuxa seriam artistas antológicos.

rpastor disse...

Belo disco. Gostei da dica. Abraços...

Plante Árvores disse...

Deacon fez boas músicas.
Não o culparia sozinho pela decadência musical da banda. Sempre achei que Mercury tivesse mais responsabilidade sobre isso.

Anônimo disse...

Acho que o único disco ruim mesmo do Queen foi o Hot Space (com excessão da faixa Under Pressure).E além do mais toda a parte teatral e frescurenta da banda (não estou criticando)eram coisas do Freddie Mercury.
E se Deacon fosse pop ele estaria nessa nova formação da banda.

Fábio Luis Emerim disse...

Só que lamento informar, mas são as versões do disco de estúdio. Não tem nada de ao vivo da BBC aí.

Dagda disse...

Ué, mas onde se disse que era ao vivo?

Zuzobem gara disse...

Na minha época, Queen era música de veadinhos.
Hoje em dia, continua sendo.
O nome Queen é gíria prá bichona. O Fred era gay. As letras, os vocais... Tudo gay.
Tem quem goste. Quem se identifique.
Recomendo: Ouvir tomando limonada suissa. Cuidado prá não pisar no chiclets.
(acho que comprei briga com as bibas)
Classificação em estrelas: Céu de Purpurina.