sexta-feira, março 09, 2007

Eric Carr – Rockology (1999)














"Que porra é essa?" Desculpem o expletivo, mas foi exatamente essa a minha reação, 24 anos atrás, quando o Fantástico começou a passar o clipe de "I Love It Loud", do Kiss. Tudo bem, eu conhecia a banda (uma das minhas favoritas até hoje), mas o que provocou minha reação foi bateria mastodôntica da canção, uma espécie de "We Will Rock You" anabolizada.

Claro que eu comprei Creatures of the Night na mesma semana. Descobri, para meu estupor, que a batida da música de trabalho era pinto perto de outras no disco e me tornei um fã ardoroso de Paul Charles Caravello, aliás, Eric Carr. Meses depois, tive a oportunidade de vê-lo ao vivo no Maracanã e constatar que tremendo baterista ele era.

Carr não era só um grande batera. Cantava bem (o vocal de "Young and Wasted", mesmo em estúdio, é dele), tocava guitarra, baixo e teclados, desenhava e escrevia pequenas histórias de humor. Criou personagens em desenhos animados artesanais, os Rockheads, que pretendia transformar numa série, mas, infelizmente, não viveu para realizar todos os seus planos. Carr morreu de câncer em 24 de novembro 1991 – no mesmo dia que Freddie Mercury, o que fez sua morte ser solenemente ignorada pela mídia.

Músico talentoso que era, e defendendo-se em vários instrumentos, Carr gostava de trancar-se no estúdio e gravar suas próprias composições. A maior parte era parceria com seu colega de Kiss, o guitarrista Bruce Kulick – os dois tinham uma forte afinidade, decorrente de serem, a rigor, músicos contratados de Gene Simmons e Paul Stanley.

Depois da morte de Carr, Kulick pegou as fitas que o amigo gravara, deu um trato na produção (com o tecladista Adam Mitchel), botou guitarras e solos e lançou em 1999 este disco – creditado somente a Eric. Hard rock da melhor qualidade.

1. Eyes Of Love
2. Somebody's Waiting
3. Heavy Metal Baby
4. Just Can't Wait
5. Mad Dog
6. You Make Me Crazy
7. Nightmare
8. Nightmare (Live Demo)
9. Too Cool For School
10. Tiara
11. Can You Feel It
12. Nasty Boys

Download

9 comentários:

Johnnatan disse...

Excelente postagem, principalmente porque sou um fã de hard rock e pouco conheço, ainda!

Guimara disse...

Cara, meus parabéns pelo blog e pela pstagem.
Realmente Eric Carr faz uma tremanda falta, não somente no KISS mas na música em geral.
Eu não conhecia a história deste disco. Nunca mergulhei muito nos trabalhos solos dos membros do KISS, a não ser os discos solo dos anos 70 e o novo do Paul Stanley.
Vou conferir o Rocology, Valeu!!!

Anônimo disse...

valeu
mas a Young and Wasted em estúdio é cantada pelo Gene, ao vivo que o Carr começou a cantar, mas só na tour do Animalize, o disco seguinte
Carr tb cantava a maior parte de Black Diamond
a única canção de estúdio lançada oficialmente pelo Kiss com Paul nos vocais foi a Beth do Smashes,Trashes & Hits, na original do Destroyer era cantada pelo Criss
abraço

Anônimo disse...

o Paul que falei aí no comentário anterior é o Carr, que era na verade Paul

Janis disse...

Que ótima coincidência! Cá estou eu escutando o primeiro disco solo do Bill Ward e ao chegar aqui encontro um disco solo de outro baterista!
Vou indicar seu blog para um Kissmaníaco, pois tenho certeza que ele vai adorar ver esse disco aqui.
Parabéns pelo post e pelo blog. ;)

Anônimo disse...

Wow thanks for the share dude, i actually never heard of a solo album from Eric. Yeah the world had lost one of his best drummers back then. Thanks again man! Greetz from Cobalt.

Janeca87 disse...

KISS KISS KISS

marcio sancho disse...

caraleo mermão sonzera de primeira...parabéns...e continue sempre postando essas perolas do hard rock pra galera...

Anônimo disse...

estou escrevendo somente para registar ,eu estava assistindo fantastico a 24 anos atras quando o clip do Kiss foi ao ar no fantástico ,achei uma loucura total e ainda tive a oportunidade de assistir ao show 1 ano depois em minha cidade bh ate hj guardo recorte de jornais da epoca falando de manifestações de igrejas evangelicas e catolicas contra o show , quem foi ao show eu estava entre eles nunca mais se separou da banda.

luiz bruxo