terça-feira, outubro 31, 2006

Queen - Queen II (1974)

image hosted by ImageVenue.com

Conforme a época ou o estado de espírito, minhas listas mentais de discos favoritos vão mudando. Mas este aqui está sempre entre os dez mais. Tipo "disco que eu levaria para uma ilha deserta (desde que tivesse onde tocar)".

Queen II é simplesmente perfeito, irretocável. Feito na época do vinil, cada lado tinha uma personalidade. O Lado Branco (faixas 1 a 5) é quase todo composto por Brian May e mostra uma faceta mais suave e harmoniosa, além de trazer a maravilhosa "White Queen", uma balada que mistura uma letra danada de triste (como toda boa balada), um instrumental forte e uma daquelas interpretações que só Freddie Mercury era capaz de dar. Uma composição de Roger Taylor, "The Loser In The End", fecha o lado com uma batida nervosa, uma letra iconoclasta e aquela tradicional voz rouca do baterista.

Se o Lado Branco é muito bom, o Lado Negro (inteiramente composto por Mercury) é simplesmente genial! Tem tudo que o Queen depois faria com mais marketing. Abre com um pauleirão, "Ogre Battle", pulando para "The Fairy Feller's Master-Stroke", uma daquelas músicas do Queen em que elementos e sonoridades de diversas épocas se misturam, com destaque para um cravo ensandecido. Em seguida entra "Nevermore", uma balada suave que nos lembra o quanto vocalista Freddie Mercury ofuscava injustamente o tremendo pianista Freddie Mercury. E eis que chega "The March Of The Black Queen", a grande música do álbum, com seu ar sombrio, suas inversões de ritmo, suas acrobacias vocais (com ajuda de Roger Taylor), a ponto de alguns a considerarem um ponto de partida para "Bohemian Rhapsody". Para aliviar o clima, "Funny How Love Is", uma semi-balada acústica com letra pra cima e, para variar, um belo arranjo vocal. E, fechando o pacote, "Seven Seas Of Rhye", o primeiro compacto de sucesso da banda, uma pauleira que fecha num adorável clima de pub inglês.

Elaborado sem ser progressivo, pesado sem ser heavy metal, acessível sem ser pop, Queen II é ousado e original, produto de uma época em que o talento dos músicos e sua criatividade eram estimulados, antes que a boçalidade tomasse de assalto o rock inglês em 1976.

Ah, quer saber? Vamos dar nome aos bois. Este é o meu disco favorito, sim!

1. Procession
2. Father To Son
3. White Queen (As It Began)
4. Some Day One Day
5. The Loser In The End
6. Ogre Battle
7. The Fairy Feller's Master-Stroke
8. Nevermore
9. The March Of The Black Queen
10. Funny How Love Is
11. Seven Seas Of Rhye

Download

10 comentários:

Anônimo disse...

A BIXA É INSUBSTITUIVEL! É INCRIVEL COMO ESSA FASE DO QUEEN É DIFERENTE MUSICALMENTE COM A FASE "THE WORKS", E KIND OF MAGIC, AS MUSICAS PARECEM SER DE OUTRA BANDA, ESCUTE OS DISCOS HISTORICOS COMO O "A NIGTHT AT THE OPERA" E "INUENDO" E VOCE VAI DIZER QUE SAO BANDAS DIFERENTES, POREM VAI QUERER ESCUTAR OS DOIS DISCOS DE NOVO E DE NOVO E DE NOVO ....

GEORGE

Dagda disse...

George,

E olhe que Innuendo é, radicalizando bastante, o único disco realmente Queen que eles lançaram a partir de 1980.

Abs

Dagda

Defensor, O Maldito disse...

Cara, concordo com você, este disco é insuperável.
Abraços
Defensor

Anônimo disse...

Essa é a fase áurea da banda. Certamente um clássico do rock dos anos 70, ao lado de A Night At The Opera. O Queen foi uma banda de fases, altos e baixos. Derrapou feio em Hot Space, mas sempre teve coisas boas pra mostrar. Li num site q com o Paul Rodgers vão lançar um disco com musicas novas.

Anônimo disse...

Ola... essa eh minha primeira visita.
Beleza de blog.
Estou de acordo com o que voces falaram do Queen. A personalidade e a voz do Fred, quando estava no auge, fizeram o Queen chegar no topo.
Depois, drogas e outras coisas levaram o pessoal para o buraco.
Queen II eh muito bom.
Obrigado pelo post. Jah tenho e se nao tivesse puxaria.
Lelo.

Anônimo disse...

In my first visit I want to thank you, Dagda, for your amazing blog.

I Sugest you:
Queen I (to "see" the differences)

and,

More URIAH HEEP.

Keep on Rockin'
Many thanks.

Carlos disse...

Cara, quando eu vi essa capa aqui no blog me deu um nó na garganta...esse disco faz parte da minha vida e eu conheço cada segundo dessas músicas...eu comprei este disco na época em que fui obrigado a morar no interior da Paraiba, numa casa no meio do mato cheio de vaca, cobra, mosquito foi foda a minha única ligação com a sanidade era o rock e principalmente o Queen. De volta a SP conheci o pós-punk, Joy Division e por aí vai, mas os discos do Queen desde o primeiro até The Game são como tatuagens sonoras, pra sempre...agora falei bonito. Yeah, baby!!!!!

Anônimo disse...

Ei com certeza ... Queen II não é só o melhor do Queen, como o melhor do rock dos anos 70 - pelo menos para mim. Está para os anos 70 como Piece of Mind do Maiden está para os 80.
Geniais

Adriano Fonseca - Juiz de Fora - MG

Marcus disse...

Discaço!!
Gosto mais dele do que o "A night.." (que eu adoro) O meu favorito, sem duvida.

((Pedro)) disse...

eu nao gostava muito do queen...
conhecia pouco coisa também
mas depois que conheci esse disco tive que rever meus conceitos porque ele é absurdamente foda!
uma obra prima