quarta-feira, setembro 12, 2007

The Who – Tommy (1969)

image hosted by ImageVenue.com

Em 1969 chegou às lojas o primeiro compacto do novo disco do Who, que seria lançado nos meses seguintes. Ao bater na BBC, a música de trabalho provocou uma verdadeira comoção. Pete Townshend, cérebro da banda, já havia escrito sobre temas, digamos, pouco convencionais, como masturbação ("Pictures of Lily") e doença mental ("Happy Jack"), além de ser o responsável por "My Generation", com o iconoclasta brado "espero morrer antes de ficar velho", mas aquilo já era demais. A nova música falava de um menino cego, surdo e mudo que jogava pinball. A canção "Pinball Wizard" acabou banida da BBC, assim com o disco que se seguiu, chamado simplesmente Tommy. Prova de que até a BBC faz besteira...

Tommy é revolucionário. Ok, não foi o primeiro álbum conceitual, mas inovou por contar uma história linear, com personagens, numa estrutura de ópera – aliás, criou-se então o nefasto termo "ópera-rock". A temática era ainda mais perturbadora do que o pessoal da BBC supusera. Tommy Walker, o personagem título, nasce pouco depois de o pai ser dado como morto na Primeira Guerra (sim, o original se passa na Primeira, não na Segunda Guerra, como no filme). Em 1921, o capitão Walker volta para casa e encontra a esposa nos braços de outro. Eles brigam e o corno, digo, o capitão mata o rival (também diferentemente do filme) na frente do menino. O pai e a mãe começam a gritar nos ouvidos dele: "Você não viu nada, você não ouviu nada, você não vai contar nada!" O choque é tamanho que Tommy fica catatônico.

Preso na própria mente, Tommy tem que lidar sozinho com experiências traumáticas, como as agressões de um primo marginal, o abuso sexual por parte de um tio e as atabalhoadas tentativas de cura feitas por seus pais, envolvendo até mesmo uma cigana lisérgica. Quando finalmente ele consegue voltar à consciência, tudo isso resultou numa iluminação espiritual que ele tenta desesperadamente compartilhar com os outros. Apesar de produzir momentos de idolatria explícita, como o vivido pela desmiolada Sally Simpson, a mensagem de Tommy não consegue tocar seus supostos discípulos, e ele acaba abandonado por todos, tão isolado do mundo quanto o era na infância catatônica.

Musicalmente, o disco é ao mesmo tempo ousado e quase minimalista. Numa época de solos elaboradíssimos, Townshend (compositor brilhante, mas guitarrista limitado) remou contra a corrente e fez um álbum duplo centrado no violão, não na guitarra elétrica. Há longas passagens instrumentais, mas pouco espaço para arroubos individuais. Até mesmo Keith Moon, o maluco genial que inventou a bateria de rock, parece mais contido em prol de uma sonoridade coesa. Tommy, quase quarenta anos depois, permanece como uma obra madura, provocadora e inventiva daquela que, para mim, foi a maior banda de rock de todos os tempos – e olhe que nem é o meu disco favorito deles, posto de Who's Next, de 1971, em breve aqui na Caverna.

1. Overture
2. It's A Boy
3. 1921
4. Amazing Journey
5. Sparks
6. Eyesight To The Blind (The Hawker)
7. Christmas
8. Cousin Kevin
9. The Acid Queen
10. Underture
11. Do You Think It's Alright?
12. Fiddle About
13. Pinball Wizard
14. There's A Doctor
15. Go To The Mirror!
16. Tommy Can You Hear Me?
17. Smash The Mirror
18. Sensation
19. Miracle Cure
20. Sally Simpson
21. I'm Free
22. Welcome
23. Tommy's Holiday Camp
24. We're Not Gonna Take It

Download

ATENÇÃO!: Parece que a faixa 10 está strunfada. Não tive como confirmar, mas, por dúvida das vias, upei de novo. Caso não consiga abri-la no arquivo completo, clique aqui e baixe só ela.

8 comentários:

EL CIPRI disse...

Este disco e muito bo, e xunto ao Who's Next, e o mellor que fixeron estes caras!

Bo traballo, coma sempre, Dagda!

Saudos

ZWRasteiro disse...

Muito Obrigado pela postagem do disco Dagda...
Ótima banda.

Só uma ressalva, ao menos comigo, a faixa 10 - Underture, o winrar informou que o arquivo está corrompido.
"Falha de CRC em Tommy\10 - Underture.mp3. O arquivo está corrompido"

Sendo assim, se puder postar esta faixa em um arquivo único, ficaria muito grato.

Valeu!

Michel disse...

Strunfada, velhinho?

Ri muito. Valeu!

Dagda disse...

Entreguei a idade legal, né?

Acho que sou a única pessoa no Brasil que lembra dos Strunfs.

Michel disse...

Nós dois...

Lark disse...

Tenho o Tommy em vinil que trouxe dos EUA e só foi tocado uma vez!
O nacional que eu tinha se acabou...
Eu diria, se não a melhor, certamente uma das maiores bandas de rock da história, com provavelmente, o maior baterista e o maior baixista.
Valeu!
Em tempo, a faixa 10 está mesmo "strunfada"

Abraços

cleber disse...

parabens pelo blog, raridades, clássicos, e tudo na veia rock. baixei os cd´s do purple, mas a musica rat bat blue, 99 remix esta corrompida, igualmente as faixas 11, 12, 13, 14, 15 e 16. gostaria de saber se vc consegue o albun da janis joplin cheapER thrills de 1984. não confundir com cheape thrills de 1968. obrigado

Zéber

cleber disse...

esqueci de dizer o nome do cd que as faixas estao corrompidas. é o fireball do deep purple.

Zéber