quinta-feira, setembro 13, 2007

The Who – Who's Next (1971)

image hosted by ImageVenue.com

Este aqui é a obra-prima do Who. Curiosamente, é resultado de um projeto fracassado do guitarrista e líder Pete Townshend, a ópera rock futurista Lifehouse. Após o lançamento de Tommy, os shows da banda se tornaram verdadeiras apoteoses, com a platéia entrando praticamente em êxtase, como pode ser constatado no duplo Live At Leeds e na performance em Woodstock (ambos disponíveis nos arquivos da Caverna).

Na época, Townshend era profundamente influenciado pelo místico indiano Meher Baba (1894-1969) e pelo filósofo e músico Inayat Kahn (1882-1927), fundador do Sufismo Universal. Uma das crenças de Kahn era a conexão entre som/vibração e o espírito humano. Inspirado por eles, Townshend acreditava ser possível atingir um nível tal de vibração na música que o espírito do ouvinte entraria em êxtase permanente, atingindo a iluminação.

A partir dessas idéias, ele criou a seguinte história: No futuro, a poluição era tamanha que as pessoas tinham de usar trajes especiais que as mantinham vivas, os lifesuites. Todos eram ligados a uma rede virtual (The Grid) que os alimentava e transmitia entretenimento pré-fabricado, incluindo a possibilidade de viver diferentes vidas virtuais – e você achando que Matrix e Second Life eram idéias originais, né? Ah, o rock'n'roll praticamente não existia mais. A música na rede era insípida e inofensiva. Quem viu o último VMA's entende o que Townshend queria dizer.

Para alimentar os plugados, o governo comprava comida de fazendas fora da área de poluição. Numa delas, na Escócia, vive a família de Mary, que, por morar no campo, não usa lifesuites e tem contato com o mundo real. Um belo dia, ela capta um sinal pirata no rádio convocando para o Lifehouse, um show de rock ilegal em Londres, promovido por um hacker (atenção, isso foi escrito em 1970!) e decide participar.

O objetivo do espetáculo era uma experiência na contra-mão da Grid. Cada pessoa alimentaria o sistema com suas informações pessoais, gerando uma música própria. Todas seriam combinadas, produzindo um único som universal. Claro que polícia decide acabar com a festa e invade o local, mas chega segundos depois de o tal som perfeito e puro ser gerado. Não encontra ninguém, pois todos os que ouviram a nota atingiram um estado de êxtase tamanho que atingiram uma espécie de Nirvana musical, transcendendo a existência física. Cabeça, não?

Pois bem, Townshend não apensas começou a compor as músicas da história, como planejou um concerto no qual uma combinação de sintetizadores, computadores e PA's quadrifônicos iriam, de fato, gerar "retratos musicais" a partir de informações fornecidas por pessoas da platéia. O resultado seria transformado num filme.

Claro que o projeto era ambicioso demais e quase provocou o fim do grupo. Depois de brigar com o produtor, Thownshend cedeu e aceitou transformar o disco seguinte num trabalho não conceitual, ainda que aproveitasse diversas canções do projeto Lifehouse. O resultado foi um disco simplesmente perfeito. Canções variadas, densas, bem elaboradas e arranjadas, letras fortes – "Won't Get Fooled Again", por exemplo, é perfeita e todos os aspectos. E o que é melhor, com Keith Moon completamente solto, ao contrário do que aconteceu em Tommy, batendo em qualquer coisa que passasse pela frente. Junto com Queen II, é o disco que eu levaria para uma ilha deserta (desde que tivesse onde tocá-lo, claro).

Nota: Esta aqui é a versão remasterizada, incluindo sete faixas bônus, boa parte também do projeto abortado.

Nota II – A Missão: Lifehouse foi transformado por Pete Townshend num projeto na Internet, no qual o visitante se cadastra e pode criar a sua música para formar um banco de sons pessoais. Quem sabe a gente consegue a tal iluminação? Para saber mais, visite The Lifehouse Method.

1. Baba O'Riley
2. Bargain
3. Love Ain't For Keeping
4. My Wife
5. The Song Is Over
6. Getting In Tune
7. Going Mobile
8. Behind Blue Eyes
9. Won't Get Fooled Again
10. Pure And Easy (bônus)
11. Baby Don't You Do It (bônus)
12. Naked Eye (bônus)
13. Water (bônus)
14. Too Much Of Anything (bônus)
15. I Don't Even Know Myself (bônus)
16. Behind Blue Eyes (bônus)

Download

10 comentários:

ZWRasteiro disse...

Valeu! Dagda...baixando este aqui também.
Pois ainda conheço pouco a banda...
e além de serem grandes álbuns postados, seus arquivos sempre com boa qualidade e algum trabalho gráfico.

Valeu!

Eu Ovo disse...

Dagda,
eu tenho esse disco na deluxe edition.
é uma edição dupla com um cd ao vivo.
vou ver depois em casa se os bonus do disco 1 sao esses que vc já postou - daí eu faço um upload so do disco 2.
te mais

Dagda disse...

Oi, Ovo
Não é não. Upa e me manda que eu dou um trato nos arquivos e boto aqui.
Abs

Anônimo disse...

ola dagda, acho que ja to virando cliente permanente do seu blog, ha sempre otimos posts aqui, to entrando quase todo dia pra checar se chego coisa nova!
esse album do Who é fantastico! VLW!

Eu Ovo disse...

Dagda,
segue os links da versão deluxe edition.
se quiser usar os links pode usar eu não vou apagá-los.
abs.
Parte 1: http://www.mediafire.com/download.php?6xzdy9zcttr
Parte 2: http://www.mediafire.com/download.php?71ybxxzzxhv

Dagda disse...

Legal

Mas eles não expiram?

Abs

Anônimo disse...

valeu Dagda e Eu Ovo pelos links estão ativos thnks Long Live To Rock And Roll Alicio Santo André SP

Eu Ovo disse...

Dagda,
os links nao expiram não - vc devia experimentar o mediafire - dá pra fazer 4 downloads simultaneos - dependendo do servidor.

pra que ter um serviço pago - rapidshare - se vc pode ter isso de graça e sem limite de uploads.

Eu usei bastante o 4shared - mas migrei geral para o mediafire.

os links vão ser mantidos - se quiser - pode usá-los como link alternativo.

abs

Anônimo disse...

Estou muito feliz por encontar este blog. Estou conhecendo muitas coisas mas a maior de todas as descobertas foi o Who. Simplesmente (se é que se pode usar tal advérbio ao lado de the who) divino. Não me contenho tenho que expressar com um palavrao puta que pariuuuuuuuuuuuuuu! é muito foda.

John J. disse...

Umm.. Achei ótimo o conteudo! Não conhecia a história do álbum, sem dúvidas gostei muito.
Meus parabéns e por favor continue a blogar com tanta dedicação!
Um grande Abraço