sábado, maio 16, 2009

Rita Lee & Tutti Fruti – Fruto Proibido (1975)



Agora, um disco seminal do rock brasileiro. Em 1972, a guinada dos Mutantes em direção ao rock progressivo acabou por alienar Rita Lee, que deixou a banda “a pedido” de Sérgio Dias. Com a amiga Lúcia Turnbull, ela montou um duo de curta duração, logo transformado na banda Tutti Fruti. Lúcia saiu quando o grupo gravava seu primeiro disco, fazendo com que a gravadora Somlivre lançasse o LP como Rita Lee & Tutti Fruti.

Fruto Proibido é o segundo álbum lançado por eles. Comparado com o som elaborado dos mutantes, é um disco até básico. Com músicas mais simples e diretas. Isso, claro, numa época em que simples e direto não era inda sinônimo de tosco e deliberadamente mal tocado. “Agora Só Falta Você” e “Esse Tal de Roque Enrow” (letra excelente de Paulo Coelho) animaram muita festinha da minha infância, mas o grande momento do disco é a balada “Ovelha Negra”, autêntico manifesto da geração dos inícios dos anos 70.

No ano seguinte, Rita conheceu Roberto de Carvalho e deu início a uma parceria conjugal/artística em que o sucesso comercial foi inversamente proporcional à qualidade do trabalho, como quase sempre acontece. Costumo dizer que amo Rita Baptista, adoro Rita Lee e detesto Rita de Carvalho.

1. Dançar Pra Não Dançar
2. Agora Só Falta Você
3. Cartão Postal
4. Fruto Proibido
5. Esse Tal de Roque Enrow
6. O Toque
7. Pirataria
8. Luz Del Fuego
9. Ovelha Negra

Download

No vídeo, o clip de “Ovelha Negra”. Tosco como qualquer vídeo musical brasileiro do período.

12 comentários:

ROCK 1000 disse...

Teu Blog é muito bom, Parabéns.
Eu adicionei seu Blog em Meus Parceiros, se pudeu me adiciona tambem, OK
Visite-me

http://rock1000metal.blogspot.com/

Metal is Forever disse...

Aceita Parceria, vou te adicionar, OK
Abraço Paulo

METAL IS FOREVER

http://www.maisemaisfree.blogspot.com/

Dagda disse...

Já estão ambos adicionados.

Abs

D

A FERRO E FOGO disse...

http://aferroefogometalrock.blogspot.com/

SALVE AMIGO, POSTEI ESSE ALBUM EM MEU BLOG FAZENDO OS DEVIDOS CRÉDITOS E COLOQUEI SEU LINK COMO PARCEIRO OK
UM ABRAÇO

Michel disse...

Dagda,


Primeiro, não fique bravo. Faz tempo que não pareço nos comentários, mas acesso sempre o blog. Comentar dá preguiça...

E aí, você também foi ver o bruxo e o canhoto?

Fui em 92 no Canecão e novamente me assustei com o PESO dos caras. Ninguém consegue ser mais pesado do que eles, é incrível.

Sabbath, ops, Heaven and Hell, forever.

Um abraço,


Michel

Dagda disse...

Quem me dera. Tô me recuperando de uma cirurgia. Esse eu perdi.

Ah, Ferro e Fogo, tô botanto seu blog nos recomendados.

Dney disse...

Pow!

Eu tenho esse disco, em cd mesmo.

Em vinil tenho apenas os outros dois dessa primeira fase (áurea): Atrás do Porto... e Entradas e Bandeiras.

Cara! Esse disco é maravilhos!

Pra mim, o melhor solo de guitarra dos anos 70, aqui do Brasil, é o que o Carlini fez em "Ovelha Negra".

Enfim, parabéns pelo blog...

Musicadaboa disse...

É possível descolar a ficha técnica?

Parabéns pelo blog.

Carlos Moraes disse...

Os discos da Rita Lee: Fruto Proibido 75, Entradas e Bandeiras 76 e Babilônia 78 são bacanas e tem essa pegada rock'n roll, com uma banda com uma pegada legal. Eu assisti o show da Rita com a Lucia Turnball onde ela lançou a Banda Tutti Frutti. Foi em São Paulo, numa salinha de teatro que cabiam umas 100 pessoas e a o show eatava quase vazio, à meia noite. Showzaço! Abraço!

Anônimo disse...

16º melhor disco brasileiro de todos os tempos, segundo a revista Rolling Stone.

Não é pouco. E se 'Ovelha Negra' tem o melhor solo do rock Brasil, 'Agora só falta você' tem a bateria mais seminal do período.

Grandes Luiz Carlini e Franklin Paolillo.

E concordo com você, Rita trocou o rock n roll por Roberto de Carvalho. Que ela seja feliz com o tesão resolvido dela, mas roqueira, deixou de ser há trinta anos.

Marcelo Soares disse...

nao é tosco nada!!! clipe bem feitinho ate demAis pra a epoca... tosco eh o q se fazia no fantastico nos anos 80 (vide ronnie von - cachoeira)

Anônimo disse...

Eu definitivamente não consigo ver graça nesse solo de Ovelha Negra. Fraquíssimo perto do que o Sérgio Dias faz. Na verdade, achei o instrumental todo do álbum bem simples.